terça-feira, agosto 08, 2006

NA TRILHA DO ALTAR

A ficha caiu! Dia 10 de dezembro minha irmã vai dizer - Sim, eu aceito... Confesso que estou com ciúme, um ciuminho bobo de irmão, vocês me entendem, né? É que eu amo muito a Débora... Vivemos muitos momentos juntos e ela sempre teve todo um carinho comigo, mesmo eu sendo mais velho, sempre cuidou de mim como se eu fosse um filho. Tudo bem... Sei que tudo isso nunca vai morrer, que os tempos de infância, as brincadeiras e as tantas passagens desta história ficarão guardados no nosso livro, mas sei também que o casamento é um divisor de águas, uma espécie de separação natural. Daqui pra frente, é normal que as coisas mudem entre nós, agora ela tem uma casa, um marido e no futuro filhos pra cuidar... Isso muda um pouco as coisas, mas não muda meu amor. O casamento vai ser mega tradicional, igreja tradicional, festa tradicional e já saiu até nota na coluna social. É o sonho dela, eu respeito, ela está feliz e isso me basta, mas permitam-me - Acho essa parada bem teatral... 500 convidados para tricotarem sobre as roupas da festa, para falarem bem de uns e mal de outros... Festas assim são como academia para os linguarudos, pois que aproveitem, malhem a língua até o osso, sou completamente indiferente a esses papos chatíssimos. Estarei lá de terno e gravata, sufocado como manda o figurino, mas acreditem, não me dou bem nesses eventos sociais, acho tudo muito artificial, espero que minha noiva não faça questão de nada disso... Pois prefiro me casar numa tarde de sábado ao ar livre, com MPB da melhor rolando solta e apenas gente querida por perto. Prefiro um clima mais tranqüilo, despido de trejeitos, não me toques e etiquetas. Prefiro minha mulher no vestido que ela quiser, branco ou rosa, longo ou curto, de salto ou descalça, tanto faz... Acho que o importante num dia como esse é você olhar aquela pessoa pulsando de felicidade e saber o quanto vai ser bom ficar ao lado dela. É você ter certeza que aquela é a sua mulher e que é ao lado dela que você vai construir sua família. O resto, vocês sabem, é pura convenção social. Bom, Binha, chegou a hora meu anjo... Adeus vida de solteira! Quero dizer de coração que apesar das minhas diferenças com seu noivo, desejo toda felicidade do mundo para vocês... Torço muito para que vocês amadureçam cada vez mais e que sejam muito, mas muito felizes. Lembre-se sempre das essências da relação, do companheirismo, do respeito, do carinho, da cumplicidade e do amor. Tenho certeza que você é uma super mulher, que vai ser super mãe e super esposa também. A partir do dia 10, começa uma nova etapa na vida de vocês... Amem-se, desejem-se, entendam-se, apóiem-se... Não permitam que a rotina da vida leve a mesmice para dentro de casa. Seu irmão te ama muito e estará do seu lado sempre, incondicionalmente.
Um beijo grande, Deco. (Para quem não sabe, ela é a autora desse apelido)

Nenhum comentário:

Postar um comentário