terça-feira, novembro 07, 2006

TEORIA DA INVOLUÇÃO AMOROSA

por Brena Braz e Deco Toledo


Porque é assim e não de outra forma.

Nenhum de nós precisou comer pedra e ir entalado para o hospital, para saber que pedra não se come. A gente simplesmente sabe. Porque lá trás, quando um cidadão iluminado criou esse mundo, algumas coisas foram determinadas... Entre elas, que pedra é para construir, não para comer. Da mesma forma, quando encostamos a mão numa panela quente, rapidamente retiramos, antes de nos queimar. É um reflexo. Um instinto de sobrevivência. Nosso cérebro age em frações de segundos. Não precisamos pensar antes de tirar a mão e nem derretê-la na danada da panela, simplesmente tiramos, automaticamente.

Mas nos contem aqui... Por que esse instinto de sobrevivência ou esse automatismo lógico não funciona com nosso coração? Por que nosso coração não sabe o que é bom ou ruim pra gente? Por que ele não fala com todas as letras (Sai fora antes que você quebre a cara)? Por que ele não fala se é ele o primeiro a se dar mal?

Ao contrário do cérebro nosso coração não evoluiu ao ponto de saber definir o que é e o que não é bom para nossa vida. Volta e meia estamos envolvidos em relações sem nexo, sem paixão, sem razão nenhuma de ser. Envolvidos num duelo entre o pensar e o sentir, entre o saber e o descobrir. Envolvidos com pessoas que "semi-portavam" um outdoor dizendo: Eu não sou para você! Nós não temos futuro! E nós cegos, ou melhor, insistentemente cegos, momentaneamente cegos e propositalmente cegos, vamos lá conferir e ver no que dá... Vamos lá pagar o preço, perder nosso tempo, nossos beijos e quebrar a cara mesmo sabendo que no fim, mais uma vez, não vai dar em nada.

Deus! Jesus! Santo Antônio Casamenteiro! De onde vem essa insistência? Essa mania de querermos algo que sabemos (de antemão) que não vai dar certo? Por que duas pessoas que têm essências, hábitos, desejos e sonhos tão contrários se envolvem?


Chamem de química. Paixão. Atração. Desejo. Seja lá o que for essa coisa louca, algo nos leva a insistir em relações com pessoas que não têm nada a ver com a gente. E que nunca dariam certo e que nunca dão, efetivamente. Você gosta de passar os finais de semana nas montanhas, curtindo a natureza, tomando sol nas cachoeiras e fazendo um rapel. Ela passa as tardes no shopping, falando ao celular como uma louca e torrando o cartão de crédito em coisas fúteis. Você é quase uma atleta, nunca fumou e gosta de música sertaneja. Ele curte música eletrônica, é playboy e acha que drogas ilícitas são o máximo. Enfim... Por que é que está tão na cara (dos dois) que não vai dar certo e queremos ver até onde vai? De onde o coração tirou que ele pode ser independente e seguir na direção contrária da razão (aquela, que nos avisa o tempo inteiro: sai daí)?

Será que, no futuro, estaremos evoluídos a ponto de nos atrairmos somente pela pessoa certa? A ponto de coração e razão entrarem em acordo. Ou estamos fadados a viver pra sempre dando cabeçada por aí e nos envolvendo com as pessoas erradas?

Acreditamos que os opostos não se atraem, mas insistimos em opostos, em contrários, em pessoas super-nada-a-ver. Insistimos e aprendemos. Talvez por isso existam tantas pessoas erradas... Aprendizado. Preparação. Por que quem não vive o errado, não valoriza o certo. Seria perfeito amar sem sofrer, ter sucesso e dinheiro sem trabalhar, seria - e seria fácil, sem graça e sem valor também. Essa mesma razão que nos leva pensar: Por que eu insisti? Por que eu caí nessa outra vez? Nos leva a concluir que a vida é assim... Que razão e emoção não costumam falar a mesma língua e que o amor é isso mesmo, meio loteria, meio destino, meio loucura. Não queira entender... Apenas sinta.

+ + + + + + + + + + + + +

Escrever em parceria era um desejo muito antigo. Sempre tive vontade de fundir minha escrita com outra e assim dar mais amplitude ao contexto, ao sentimento, ao ponto de vista. Eu gosto da idéia de trocar, de misturar sensações, de arriscar e ver como que fica. Eu gosto da idéia de ver AtéOndeVai. Mas desejar é uma coisa e fazer acontecer é outra bem diferente. Juntar pensamentos não é tão simples como parece, não mesmo. Exige entendimento, sintonia e completo despreendimento. Exige liberdade, liberdade que troca o meu pelo seu e o seu pelo nosso. Exige abandonar a vaidade singular e mergulhar na direção de um plural perfeito com harmonia, emoção e sentido.

Eis o resultado.

!

+ + + + + + + + + + + + +

Na melhor forma, fiquem bem.
Na fé, na paz e no amor.
Beijos,
Deco.

19 comentários:

  1. Deco!!!!!!!
    Fala sério!!!
    Que lindo!!!!!!!! Obrigada por tantos adjetivos!
    Chega de exclamação!!!!!!
    Empolguei!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. é uma coisa que sempre penso... até quando quem está por perto é alguem relevante? ou melhor seria ter um bonecão do posto?

    gostar é mesmo uma coisa impossível... paixão é delicisa
    amor.... difícil demais

    beijos

    ResponderExcluir
  3. Assim realmente é "fodis"...uma dupla do cacete...sou fã dos dois muitas vezes em silêncio, mas dessa vez me rendo a escrever que ficou DEMAIS e espero que essa fusão vire mania e uma constante...pois tudo o que vcs dois escrevem eu sempre ( e não é por acaso) concordo e assino embaixo...Não existe avisos de incêndio quando se trata do amor...muitas vezes esses avisos são até incentivos...o porque disso????Não sei...!!!Mas me pergunto como seria se não existisse a chance de pegarmos "fogo" de vez em quando...rsrsrs...Beijos

    ResponderExcluir
  4. Tá lindo demais mesmo...
    Passando para desejar um semana linda, cheia de energias positivas.
    Aproveito também para avisar que tem post novo no Decifra-me. Te espero lá, ok?
    Beijo no coração...

    ?Decifra-me... ou devoro-te... Arrisque-se se for capaz.?

    ResponderExcluir
  5. Deco Querido

    Mais uma vez, perfeito. É muito bem vinda a parceria de vocês. Te Adoro! Bjs

    ResponderExcluir
  6. eita!!! Superrrrrr bacana! Tem corações que não combinam mesmo, mas o de vcs, De e Brena..almas gêmeas na ponta dos dedos! Demais! Amei, e me identifiquei com essa história do princípio ao fim; já errei muito e sinceramente, acho que nessa vida, coração e razão não se encontraram...e nem vão! E como vcs disseram, eu tbm não quero entender, só quero sentir! Beijos, Parabéns, mais um, mais um...

    ResponderExcluir
  7. Opostos se atraem sim, mas não suportam a convivencia!

    Também tenho refletidoe ssa questão. Acabei de quebrar a cara com uma pessoa que eu insisti em não querer e que inistia em me querer, acabou ele não me querendo mais e hoje é meu coração que esta ferido. Mas a vida é assim, cheia de obstaculos para superarmos. Cada um deles nos traz um pouco de força e aprendizado e formam nosso carater!

    É isso, como sempre vc falando tudo.

    Visite-me.

    ResponderExcluir
  8. li o texto lá na BRena... e amei...
    acho que já falei td o que tinha pra falar sobre ele lá...
    acho que é bem essa a graça da vida... apostar... por mais que isso machuque...
    a gente acaba se sentindo vivo a cada uma dessas histórias...
    por mais que se sentir vivo soe tantas vezes tão patético!
    obrigada pela visita e seja sempre muito bem vindo!
    vou fuçar o resto do seu blog! ;)
    bjo!

    ResponderExcluir
  9. Nuuuuuuuú... Arrasaram
    "... amor é isso mesmo, meio loteria, meio destino, meio loucura"

    Se a gente entendesse a fórmula das receitas mais saborosas, no minímo não teria o valor necessário.

    Se a gente entendesse os limites para ir além da lenda, não saberíamos o gosto do prazer, do mistério, da vida!!!!

    Ameiiiiiiiiiiiiii essa história de escrever junto, eu quero! eu quero!!!!

    Lindos demais.

    ResponderExcluir
  10. lindo,lindo,lindo!
    um suspiro de coisas arrancadas do coração!
    mil beijos! e espero a tua visita!

    ResponderExcluir
  11. ficou perfeito, o texto, as palavras, a parceria...
    quero mais hein...
    parabéns aos 2!!
    beijos

    ResponderExcluir
  12. Deco,
    vim dar uma passadinha rápida para conhecer seu blog, mas já vi que vou ter que arranjar tempo e voltar depois com bastante calma!! Agora na correria para trocar de roupa e ir para o trabalho!
    Beijo e queijo!!

    ResponderExcluir
  13. Decoooo, tô de volta lindinho! Em breve estou na ativa com meu blog! BEijo!

    ResponderExcluir
  14. Funcionou mesmo...ficou ótimo!
    Sabe Deco, estou sempre pensando nisso...Por que insistimos numa relação que já sabemos de antemão que vai dar errado? Quem sabe...
    Agora, pense por esse lado:
    Os opostos se atraem mesmo, e o mistério todo está exatamente aí.
    Se os dois forem iguais
    pensamentos iguais, desejos iguais, não teria graça...
    Sendo diferente um completa o outro. Será que completa mesmo??? rs...ainda não descobri!
    Mas continuo tentando...tentando...


    Abraço Deco, e um ótimo fim de semana cheio de amor...

    ResponderExcluir
  15. Pronto! Achei mais um lugar pra voltar sempre e sempre =)

    Deco, a Brena escreve muito bem mesmo e, pelo visto a parceria deu certo. Desculpe pela demora para vir aqui! Tenha um ótimo final de semana

    ResponderExcluir
  16. Deco...
    Ficou lindo o texto, vc e Brena estão de parabéns!
    Aquí aql velho ditado se aplica "Duas cabeças pensam melhor que uma"...
    As idéias se encaixaram perfeitamente.
    Bjus pra vc e pra Brena que é uma ótima blogueira =D
    =**

    ResponderExcluir
  17. Vamo que vamo que o som não pode parar!

    ResponderExcluir
  18. Difícil falar de outra coisa, a não ser amor né? Difícil escrever sem demonstrar saudade do passado, ou saudade de um futuro que se gostaria que acontecesse...!

    Apaixonantes seus textos... penso bem igual a você

    Beijos, Natália

    ResponderExcluir
  19. Deco, comentei lá na Brena. a união ficou perfeita demais, até demais!!
    Que venham mais emoções! Beijus

    ResponderExcluir